domingo, 31 de janeiro de 2010

Despeito contra as sem-peito


Essa saiu no Blog do Ota:


E essa agora... a Austrália baniu os peitos pequenos. A medida para saber se um peito é pequeno ou não é se o peito cabe numa taça de vinho. Se tem um tamanho igual menor que uma laranja lima não pode mais. É mole? Isso deve ser um complô dessas clínicas de silicone pra forçar a mulherada a aumentar os seus peitos.


Bom, vamos à explicação. Isso vale para as revistas de mulépelada ou filmes pornô. As autoridades barram esses produtos, alegando que eles são um "estímulo à pedofilia". Mesmo que a modelo esteja beirando os 30, se tiver peitinho não pode aparecer pelada, porque com essa bitola fica simulando uma garota de menor. Só falta proibirem as xotas depiladas também, se é que já não proibiram.


Mais uma notícia que vai pra categoria "se você acha que já viu tudo quanto é absurdo, é porque ainda não leu esta". Que mal há em peitos pequenos? Acho que o problema tá mais na cabeça dos censores, e não dos pedófilos. Enfim, há um número considerável de mulheres adultas por aí que não se encaixariam na bitola permitida por lei na Austrália. São as remanescentes de uma época em que ter peito pequeno não era considerado out. Antigamente ninguém ligava muito pra isso, mas quando desde que se popularizou a cultura do silicone, a mulherada tem corrido em peso para as clínicas pra dar uma calibrada, e a maioria sem necessidade.


(...)


Comentário – Lógico que a coisa é factóide. O tipo de notícia que não faria subir o preço do dólar nem colocaria de sobreaviso as potências mundiais para que se evite a terceira guerra mundial, mas concordo com o Ota. Mesmo sendo o tipo “peitólatra”, o detalhe físico nunca me fez eliminar mulher numa hipotética escolha. Vivemos num mundo em que o físico prevalece demais. Num tempo em que mulher gorda é esculachada, é feia, é baranga, que seios pequenos são out, isso sem falar, claro, no padrão de beleza nórdico que nos é imposto cada vez mais. Não sei se isso é um lobby comandado por cirurgiões plásticos que querem aumentar mais ainda seus cofrinhos aumentado a peitaria da mulherada na ilha dos cangurus. A verdade é que o tal padrão estadunidense do large breasted woman se impôs de tal forma e correu o mundo todo com tal velocidade que ter peito pequeno parece ser algo feio. O que é interessante notar é a mudança dos tempos. Restringindo-se ao mercado de entretenimento adulto nos EUA, que movimenta e rende uma grana violenta na casa do bilhão de dólares, hoje uma das mais disputadas atrizes do metier é a bela morena Sasha Grey que foge dos padrões de pornstar: Primeiro pelos seios diminutos, depois por ser morena.


A explicação dada pelas autoridades de “estímulo à pedofilia” é algo que beira o absurdo. Uma forçação de barra astronômica e delirante. O culto ao silicone (que, como costumo brincar, deveria dar razão a nós, “peitólatras”, acionarmos o PROCON contra as recauchutadas via silicone ou via enchimento) implantou um padrão de beleza que, muitas vezes, incide frontalmente com a saúde feminina. Ou seja, as mulheres ficam peitudas artificialmente, mas sua formação física e óssea nem sempre suporta esse reforço na comissão de frente.


Enfim, acho que para um factóide, três parágrafos já vão demais. Que as australianas menos favorecidas pela natureza se unam contra isso e façam valer os seus direitos pela admiração ao natural, seja grande, pequeno, caído erguido. O mundo tem problemas demais, mas aceitar passivamente uma imposição absurda dessas é se curvar à modas que vem, vão e, como as ondas, movem areias e não criam nada de sólido.

VA ao vivo

Conhece um sujeito chamado Lasier Martins? Ele é comentarista da RBS e da Rádio Gaúcha, associada à mesma RBS que, por sua vez, é afiliada à Rede Globo. O esporte predileto desse canalha é criticar o governo federal e o Lula. Pois, muito bem. Atuando pela rádio, ele resolveu visitar o Grupo Hospitalar Conceição, em Porto Alegre, contra o qual ele abriu verdadeira cruzada contra. E numa entrada, AO VIVO, aconteceu isso:

Aaaah, PAC é paciente?


Critica os pacientes, Lasier. Depois do Boris meter o pau nos garis, ficou permitido aos imbecis falar contra quem quiser.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Som na Caixa


E como hoje tem Metallica em São Paulo, nada melhor que um bom e velho clássico do inesquecível álbum negro.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Enjoy your Friday - Electric Man 2


Cansado do seu dia a dia difícil? Vontade de enfiar a porrada na cara do mala do seu patrão ou do xarope do seu professor? Que tal canalizar essa raiva e essa violência no Electric Man 2, um joguinho de luta de visual tosco, mas muito divertido. Você comanda o homem palito e tem que dar uma surra nos adversários. Uma boa pedida. Use os botões que pedem as instruções e dê vários golpes, alguns ao estilo Matrix, nos robôs, monstros e mutantes. Diversão garantida e uma ótima terapia.


Democracia Global

Não há muito o que escrever sobre esse vídeo. As legendas falam por si só.




Então é assim que funciona? A Rede Globo, amiga dos militares daqui, golpistas daqui há mais de quarenta anos, prega outro golpe fora do País, num país que elegeu e reelegeu de forma honesta seu presidente? Que bonito, né? Eu adoraria o contrário. Que o Chávez desse um golpe aqui nem que seja pra fechar essa merda que é a Rede Globo. Depois, a ordem se restituiria.


Agora, vamos e convenhamos? Quem é esse sujeito? O que ele escreveu? Para a Globo, pegar qualquer borra-bostas das unidunitês da vida, com um mestradinho chinfrim, o bicho já vira especialista.


ACORDA BRASIL! PNDH JÁ! Controle à Rede Globo SIM!


Metal puro

Começa hoje por Porto Alegre a fase brasileira da turnê World Magnetic do Metallica, um dos grupos de heavy metal restantes do início dos anos 1980 e, ao lado do Iron Maiden, a que mais se manteve fiel ao estilo inicial. Se da formação clássica que gravou o lendário Black Album de 1991, o baixista Jason Newsted foi o único que saiu, seu substituto Robert Trujillo segura bem as pontas. Na verdade, muita gente boa passou pelo Metallica como o baixista Cliff Burton, que antecedeu Newsted, e David Mustaine, guitarrista que saiu pra formar o Megadeth.


O grupo prestou ótimos trabalhos ao rock. Além do já citado Black Album, que enfileira clássicos como Enter Sandman, The Unforgiven, Nothing Else Matters como outras, o Metallica ainda presenteia os fãs com os ótimos Kill’em All, Master of Puppets e o genial disco de covers Garage Inc. O tempo aprimorou a pegada nervosa dos quase cinqüentões James Hetfield e Lars Ulrich, a linha de frente do quarteto. Os fãs gaúchos, hoje, e os paulistas, nesse fim de semana, certamente terão um festival de clássicos e muito, mas muito peso. Ótima pedida.



quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Geografia who?

São coisas como essa que me fazem ver o quanto nós, profissionais formados em geografia, fazemos falta nesse país. Clique e leia.


Ou como dizia uma prova que eu corrigi certa vez: Ilha é um pedaço de terra cercado de água por todos os lados. Inclusive por cima.


É...

Assista e compre


Comerciais de cerveja... Criativos, sempre. Nada mais fácil que induzir alguém a beber. Essa deve ser tcheca. Não sou bom em decifrar idiomas estranhos, mas é o que os caracteres indicam. Se não for de lá, é de lá perto.


Gracinha

Deu na UOL:


O apresentador Otávio Mesquita conta que ficou louco para comprar a boneca da apresentadora Hebe Camargo, criada pelo artista plástico Marcus Baby, assim que viu uma foto. “Liguei hoje de manhã para o artista, fiquei uns 40 minutos tentando convencê-lo a vender a boneca, mas não consegui. Cheguei a oferecer R$ 5 mil. Queria muito colocá-la numa redoma de vidro para dar de presente para Hebe, mas o Marcus não quer saber”, diz Mesquita, que é o primeiro da fila de interessados, caso o artista mude de ideia. (...) (grifo meu)

Também conhacida como a Nova Noiva do Chuck


Eu não sei o que é pior. A boneca em si ou um marmanjo que nem o Otávio Mesquita desesperado pra comprar uma boneca.


Esse mundo tá perdido


´

Guerra do deserto



Egito e Argélia jogam hoje, de novo, a terceira vez em menos de três meses num clássico norte-africano que extrapolou de longe os limites das quatro linhas. O jogo levou a conflitos e perseguições de nativos no outro país, sobretudo na Argélia. Para o jogo de hoje, que vale uma vaga na final da Copa Africana de Nações, o clima está pra lá de efervescente. Egito e Argélia mandaram torcedores para Angola, que por sua vez, recusou a entrada deles no país. Jogadores falam em guerra. Ou seja, tudo leva a crer que a partida deverá ser meticulosamente coordenada. Dentro de campo e fora,


Culturalmente, os dois países se aproximam em certos pontos e distam em outros. Ambos são países de língua árabe e maioria muçulmana. Ambos são países relativamente liberais dentro do rígido mundo árabe. A diferença entre eles vem, primeiro, na colonização. O Egito foi um dos primeiros países africanos a se tornar independente do Reino Unido. A Argélia conseguiu a sua muito mais tarde, em 1962 de forma sangrenta contra a França. Ainda há um ressentimento e uma aversão dos argelinos contra sua ex-metrópole. O que não impede do francês ser o segundo idioma do País. Mas a história mostra que tanto um quanto outro são países fortemente belicosos e de fibra nacionalista.


Quanto ao futebol, é flagrante a superioridade egípcia. O time é o atual campeão continental de seleções e vem sendo a melhor equipe da competição este ano em Angola. No entanto (e por isso, principalmente), essa superioridade não foi o suficiente para que o time dos faraós batesse os argelinos na disputa por uma vaga na Copa do Mundo. Em jogos tensos nas Eliminatórias, a Argélia bateu o Egito em casa por 3-1 em junho do ano passado. Com o Egito se complicando noutras partidas, os faraós precisavam vencer em casa por uma diferença de dois gols e forçar o jogo desempate. Em novembro, isso aconteceu. E quatro dias depois, no tal jogo desempate, disputado no Sudão, a Argélia fechou a fatura ganhando por 1-0 numa partida quente que desatou em conflitos nos dois países.


Não é normal que o futebol seja pano de fundo para conflitos ou tremores diplomáticos. A história mais célebre envolvendo o esporte se deu em 1969 quando Honduras e El Salvador pegaram em armas após uma série de três partidas entre os dois países, que já não vinham em boas relações. Que a guerra que os jogadores aludem se restrinja ao campo e que o espírito esportivo reine após o jogo. De uma forma ou de outra, a partida promete muitas emoções. Que fique só nos noventa minutos.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Assim não dá

Rubinho... Um dia ainda vai ser levado a sério ou reconhecido como um bom piloto que ele foi. Sensacional a montagem do Jacaré Banguela. Clique pra ler melhor.



Péssima notícia

Coisa chata essa que aconteceu com o paraguaio Salvador Cabañas, que joga no América do México. O atacante do América foi baleado na cabeça num bar na Cidade do México e será operado para extrair a bala. A quem não se lembra, o atacante paraguaio ficou famoso por sua forma roliça e por ter eliminado Flamengo e Santos na Copa Libertadores de 2008 bem como ter liderado o Paraguai numa contundente vitória sobre o Brasil de Dunga naquele mesmo ano. Certo é que o Paraguai perdeu seu Ronaldo para a Copa. A comparação, grosso modo, é cabível. Afinal, como o nosso gordo, o deles também é um atacante matador e que salvou o Paraguai de poucas e boas. Agora vale torcer para que ele saia dessa e volte, se não a jogar futebol, a ter uma vida normal. E a verdade que a violência que os brasileiros tanto querem evitar jogando fora daqui não é exclusividade nossa.



Clarice Spketor

Eu não acompanho BBB. Não me interessa, na verdade, eu odeio o programa, mas como vivemos numa midiocracia e nem mesmo se nos enterrássemos durantes os três meses que essa porcaria passa estaríamos livres dela, certos sites de humor especializados em destruir os imbecis que participam dele como divertidíssimo blogue Te Dou Um Dado nos dão o prazer de ler o que realmente importa: A cretinice pulsante dos confinados. Esse diálogo, pescado pelo blogue, mostra uma discussão sobre literatura:


Serginho: – Eu nunca li Clarice Spektor.


Lia: – Clarice LINSpector, pô.


Serginho: – Ah, Linspector. Então, nunca li. Diz que é bom.


Fernanda: – Eu também nunca li o livro, mas já li resumo.


O que me deixa deprimido é ver que se trata de três idiotas declaradamente incultos e obtusos que se metem a falar de algo que não fazem a mínima idéia do que se trata. Clarice Spektor? Linspector? Os dois primeiros imbecis além de não ler, não sabem o nome da escritora. A terceira, como quer parecer um pouquinho mais inteligente que os dois, diz que lê os resumos. O que eu conheço de gente que já leu toda a obra do machado de Assis via resumo é uma grandeza. Sabe o que é pior? Quando qualquer uma dessas portas saírem da casa vão aparecer em entrevistas e dar pitacos sobre qualquer coisa e vão ser chamados de formadores de opinião. É demais pra quem tem um pouco mais de cultura, conhecimento ou pra quem realmente pensa.


Triste Brasil.

Um outro mundo é possível

Hoje, em Porto Alegre começa o Fórum Social Mundial, encontro que reúne diversos líderes de movimentos sociais, celebridades engajadas com eles e líderes políticos e chefes de Estado. É uma espécie de contraponto à reunião de Davos, na Suíça, que reúne as grandes potências políticas e financeiras. A finalidade do evento é elaborar alternativas que visem uma mudança social global.


O evento, que já correu o mundo sendo realizado na Índia e em diversas sedes concomitantes como Nairóbi, no Quênia e Bamako, no Mali, volta a Porto Alegre onde se realizou pela primeira vez em 2001. E como qualquer evento desse porte, com o passar do tempo, ele cresceu, tomou corpo e importâncias política e estratégica. Esse ano, o evento se realizará entre os dias 25 e 29 de janeiro. Ótima oportunidade pra ouvir gente graúda e com consciência para um mundo melhor não para os próprios bolsos, mas para todos os habitantes em debates construtivos e enriquecedores. Fica a dica

Jogão pro aniversário

Hoje, dia 25 de janeiro, é aniversário da cidade de São Paulo e o principal evento esportivo do dia é a final da Copa São Paulo de futebol júnior, iniciada no começo do mês com 92 times. Dessa maratona toda sobraram São Paulo e Santos, que jogam hoje no Pacaembu às dez da manhã. Uma ótima pedida pra quem mora na capital. O São Paulo é franco favorito, mas o Santos pode surpreender. Bom para ambas equipes que tem um pouco mais lapidados potenciais craques. O jogo promete.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Assista e compre


O blogue anda meio atrasado. É o segundo recesso deste mês que teve alguns probleminhas particulares. Para compensar a falta, abrimos o domingo com essa excelente propaganda da Heineken. Cada um vibra e delira com o que melhor lhe aprouver

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Foto do dia

Você acha seu serviço ruim? Imagina o dele. O que será isso que ele distribui?

Sessão Colírio

Dar uma volta de moto? Claro, eu topo. Sem medo de ser feliz.



Spice Women


Em 2007, elas voltaram com a devida lembrança do blogue que antecedeu a este, fizeram alguns shows e romperam e se separaram de novo. Três anos depois, vem a bomba. Sim, as Spice Girls vão se reunir de novo. Pelo menos é que nos conta Emma, a chamada Baby Spice.


Pessoalmente, não vejo com bons olhos esses revivals de bandas antigas. Salvo exemplos esporádicos e pontualíssimos, o melhor deles se chama Led Zeppelin, se reuniram pra fazer um show apenas, a coisa mostra o quanto a premente necessidade de dinheiro e dois minutinhos mais de fama fazem certas situações e atitudes parecerem estúpidas.


O que eu escrevi no post lincado cabe exatamente pra essa segunda volta. Mas vale fazer umas considerações extras. A primeira é a finalidade séria e útil de uma volta das Spice Girls? Certo, elas fizeram sucesso nos anos 90, levaram algumas adolescentes a cantar Wannabe por onde quer que se andasse. Mas grupos assim existiram às pencas e em várias décadas. Melhores? Piores? Vai do gosto do freguês. Segundo é essa conversa de enganar trouxa de que “estamos unidas”. Lorota. Se fossem ou estivessem unidas o grupo não teria acabado há tanto tempo pra voltar e acabar pelos mesmos motivos. Poderia escrever mais algumas linhas sobre o ridículo de ver mulheres já maduras fazendo dancinhas de pós-adolescentes. Não se descarta o papel de momento que as inglesas tiveram na segunda metade dos anos 90, mas um show apenas em homenagem ao primeiro disco, que já tem catorze anos e marcou o espaço das meninas, era o suficiente. E daí grava-se um DVD. Há, ainda muita névoa sobre essa reunião. Que o bom senso da senhora Beckhan e suas amigas considerem essa hipótese mais honesta e menos vexosa para todas.



De novo, no mesmo lugar

Caraca, mais um tremor, dessa vez de 6.1 na escala Richter, abalou o Haiti. Pouco mais de uma semana e a história se repete. Decididamente, um país desse não pode sofrer tanto assim. Mais tristeza. Não se sabe ainda se houve vítimas nesse novo terremoto. Complicado saber, pois ainda se procura vítimas do anterior. Pra contrabalançar a triste notícia, foi animador ver que encontraram um bebê e que uma mulher idosa saiu viva dos escombros sete dias depois do terremoto. Estava cantando a velha senhora. Algo animador, sem dúvida, frente a mais essa triste notícia.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Fotos do dia



Eu sempre gostei muito das campanhas da Benetton, até mesmo das mais chocantes e polêmicas, mas sempre as achei ótimas sacadas. Para encerrar o assunto postado abaixo em que, infelizmente, esse tipo de comportamento insiste em existir nas cabeças de inteligências mínimas ou inexistentes, fica uma das fotos mais bonitas que eu já vi. Ela mostra uma perfeita forma de integração entre raças. Como sempre há os idiotas que podem ver uma alusão ao escravismo (sério, já ouvi isso), a foto do dia vai em série. Pra deixar claro o quanto tal postura segregacionista é imbecil.



A imbecilidade em foto

Confesso que isso é uma coisa que me assusta. Que seja feita por débeis mentais em muros de terrenos baldios, casas alheias e a esmo ameniza, embora não salve nem absolva quem o faça, afinal racismo e ofensas racistas são imperdoáveis e seus autores deviam sofrer pela burrice que defendem. Mas numa universidade pública e séria como a UERJ é mais inadmissível ainda. São pessoas que têm acesso ao campus e, certamente, são estudantes que defendem isso. Alunos a caminho da formação superior que pensam como mulas desprovidas de cérebro, com todo respeito às mulas. Que a reitoria da UERJ vá atrás dos culpados e não só os expulsem de suas fileiras, mas joguem-nos na cadeia. De preferência com vários negros pra que eles sintam como é bom e gostoso ser racista.